Fever

Urgente! Trabalhadores recebem ordem judicial para sair de Bolonha após denunciarem seus patrões de merda

No início da manhã de hoje (18/05) em Bolonha, na Itália, alguns trabalhadores e precários que se recusaram a ser explorados e enganados por seus patrões de merda foram acordados por oficiais de polícia, que informaram medidas preventivas contra eles: cinco receberam a ordem de sair de Bolonha e um deles foi proibido de se aproximar de seu ex-local de trabalho e de seus ex-chefes. Ao menos 13 trabalhadores também foram acusados.

Luta e revolta nas prisões gregas

As presas reclamaram que sua companheira de prisão pode ter morrido de coronavírus, já que nos últimos dias ela havia febre, falta de ar e uma forte tosse, mas não foi levada ao hospital e recebendo apenas uma aspirina. Em sua ala haviam outras 14 presas, que bateram nas portas de de suas celas chamando por ajuda médica, mas os guardas as ignoraram.

Entre o isolamento e a correria, trabalhadores em disputa na pandemia

Bolsonaro explora a divisão, acentuada numa sociedade historicamente marcada por altos níveis de desigualdade, entre trabalhadores qualificados — aqueles que estão em casa, trabalhando à distância, ou têm alguma condição para se manter durante a quarentena — e trabalhadores precários, que de um jeito ou de outro precisam seguir trabalhando fora de casa para sobreviver, frequentemente sem os equipamentos de proteção adequados.