Fever

Argentina: fábricas autogeridas se juntam à luta contra a covid-19

Os anos 90 e início dos anos 2000 foram um período em que muitos empregos foram destruídos na Argentina, o que aumentou muito a pobreza e o desemprego. Alguns setores da classe trabalhadora que possuíam trabalho formal conseguiram realizar lutas vitoriosas, e talvez os casos mais famosos tenham sido as lutas contra o fechamento de empresas e sua recuperação na forma de cooperativas autogeridas por ex-trabalhadores.

Após aquelas lutas intensas, o que esses trabalhadores encontram hoje é o difícil desafio de sustentar suas empresas no ambiente de competição capitalista, entretanto, em diferentes momentos, algumas dessas cooperativas servem de apoio e estão ligadas às lutas proletárias atuais.

Neste momento de crise devido ao novo coronavírus, muitas dessas empresas iniciaram por iniciativa própria uma reestruturação produtiva, pelo menos parcial, para produzir elementos de higiene que estão em falta até nos hospitais do país, como álcool gel, produtos desinfetantes, máscaras, elementos de embalagem, etc. Isso inclui casos de fábricas que ainda não estão sob a figura legal de uma cooperativa, mas que, ainda em pleno processo de luta, já retomaram para si parte da planta da antiga empresa. É o caso da fábrica de Ansabo, que oferece seu pátio como espaço de apoio mútuo no bairro em que está localizada. A Ansabo é uma fábrica de papel, que foi ocupada pelos trabalhadores desde julho de 2019, quando foi anunciado seu fechamento. Desde então, houve negociações que permitiram aos trabalhadores autogerir a produção com a ajuda do município de Quilmes (sul de Buenos Aires). Este caso nos mostra como a crise do novo coronavírus afeta as lutas que surgiram antes da crise, bem como as empresas autogeridas por trabalhadores resultantes de lutas passadas.

Abaixo, copiamos uma lista com alguns exemplos do que está sendo produzido:

Envases Flexibles Mataderos: está fazendo embalagem para álcool gel.
Pigüé têxteis: máscaras e camisolas.
Plásticos Salvadores (ex Tinsel): embalagens de álcool gel.
Farmacoop (ex laboratório Roux Ocefa): álcool gel
Rede Têxtil Cooperativa (federação de cooperativas têxteis): máscaras, macacão e gorro.
BAUEN Hotel: hotel para isolamento de pessoas em trânsito.
Gotan: móveis de hospital.
Madygraf (ex Donnelley press): máscaras e desinfetantes.
Cooperativa Textil Traful Newen de Neuquén: máscaras para hospitais e centros de saúde na província.

Mais informações:

https://www.pagina12.com.ar/256193-empresas-recuperadas-contra-el-coronavirus

https://www.baenegocios.com/negocios/Trabajadores-de-empresas-recuperadas-producen-alcohol-en-gel-y-barbijos-20200326-0012.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *